quinta-feira, fevereiro 24, 2005

"P.S" (2005), Dylan Kidd



A importância de ser F.Scott

“P.S” é um daqueles filmes que se esquecem rapidamente, que nos passam completamente ao lado. Antes do próprio filme acabar, já nos esquecemos dele de tão evanescente que é a sua história.

Louise (Laura Linney) é uma mulher divorciada de 39 anos que trabalha na Universidade de Columbia. Um dia é surpreendida com um aluno que é exactamente igual a um seu ex-namorado dos tempos de adolescente, já falecido. Este jovem não é só parecido fisicamente com F.Scott (o tal ex-namorado morto) como também é igual na maneira como desenha e como fala. O mais previsível acontece e Louise volta a apaixonar-se pelo jovem.

O que poderia ter sido uma história interessante se fosse desenvolvida com um determinado cuidado, torna-se num filme entediante, aborrecido e sem qualquer conteúdo.
Vemos a relação desta mulher com o jovem sem entusiasmo nenhum, sem aquela chama que uma paixão requer, ainda para mais uma paixão antiga.

O argumento, tal como a realização, deixam muito a desejar. A tensão emocional do filme é alcançada em algumas cenas, mas é pouco motivadora.
Laura Linney está fantástica no filme mas não o consegue salvar da mediocridade. Topher Grace (o actor que desempenha o papel de F.Scott) é um jovem actor sem chama, bastante apático que nunca consegue assumir uma boa interpretação.

E assim temos o primeiro grande “barrete” de 2005.

*

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info film editing schools

9:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home